domingo, julho 27, 2008

ROMA – A SURPRESA BOA

Sempre adiamos a ida a Roma.
Histórias escabrosas sobre o excessivo movimento, os roubos e outros perigos da capital italiana nos deixavam um pouco atemorizadas com a idéia.
Mas, uma hora ou outra, Roma entraria em nossos projetos de viagem.
E foi agora, entre 21 e 24 de julho, que pusemos nossos pés em solo romano pela primeira vez.
A decisão foi tomada durante a programação da viagem, quando, consultando a agenda de shows de Chico César no verão europeu, vimos que haveria um – o último da temporada – em Roma.
Procuramos uma passagem aérea barata, um hotel com preço razoável... e pronto!
O vôo, da Easyjet, saía de Madri antes do amanhecer.
Chegamos bem cedo ao aeroporto de Ciampino, tomamos ônibus, metrô e chegamos à Piazza D'Spagna.
As escadarias da Igreja de Trinitá dei Monti já estavam movimentadíssimas.

E foi assim todos os dias em que estivemos por lá: manhã, tarde e noite, a qualquer hora sempre havia muita gente na fonte que fica ali, nas escadas, na praça.

Nosso hotel, um B&B simples, indicado por nosso amigo Andrea, ficava perto dali, na Via Sistina.
Cansadas e prevendo uma longa noite por causa do show, decidimos descansar um pouco antes de iniciar nossa expedição pelas ruas, praças e fontes de Roma.
Mais tarde, saímos para um reconhecimento de terreno.
Fomos parar na Via del Corso. Amamos!
Na busca de um escritório de turismo, passamos pela coluna de Marco Aurélio na Piazza Colonna. Entramos na Basílica de SS. Ambrogio e Carlo e ficamos de queixo caído. Retornamos no dia seguinte para fotografar.

Na volta, topamos com a Fontana di Trevi. Paramos para admirar, fotografar e tomar um sorvete.

No dia seguinte fomos novamente até lá para jogar nossas moedinhas nas águas limpas da fonte, cumprindo a tradição: queremos voltar à cidade eterna!
À noite, show na Villa Ada. Um parque agradável, com um lago em volta. E uma apresentação deliciosa, claro!
Do show, há fotos e filmes.
Algumas fotos já estão nesse álbum. Filmes e outras fotos aparecerão mais tarde, quando já estivermos no Brasil, com mais tempo para processar esses registros.

Chico em Roma

Depois do show, uma festa de despedida para Chico. Fomos convidadas... e aceitamos.
Bruna, a dona da festa, brasileira vivendo em Roma, nos recebeu muito bem entre os amigos brasileiros e italianos.
Voltamos ao hotel lá pelas 4 da madrugada. Bom começo!
Segundo dia em Roma.
Acordamos tarde, claro!
Depois de voltar aos pontos já referidos acima, ainda fomos à Piazza del Popolo e almoçamos numa vielinha muito agradável, perto da Via del Corso.
Depois, decidimos comprar um bilhete de 48 horas do ônibus turístico.
E assim, a bordo do Rome Open Tour, saímos pela cidade afora.
Na primeira vez, fizemos o circuito completo, passando pelos principais pontos turísticos de Roma: Piazza Venezia, Colosseo, Circo Massimo, Via Veneto, Piazza San Pietro, Forum Romano e Palatino entre outros
Paramos no Termini – estação de trem – para investigar a interligação Roma/Fiumicino que usaríamos dois dias depois, para voltar a Madri.
De volta ao ônibus, descemos num ponto próximo à Piazza Navona e lá fomos nós conhecer a praça onde fica a embaixada brasileira e comer os famosos – e caríssimos – tartufos no Tre Scalinni, bem no meio da praça.
O dia seguinte foi dedicado ao Vaticano.
Tomamos o Rome Open Tour e fomos até a Piazza San Pietro.
A fila para entrar na Basílica era de enlouquecer, dava a volta na enorme praça.
Fomos ao Museu. Foi fácil entrar. Nenhuma fila, apesar do grande movimento.
Ali passamos grande parte do dia. Comemos uns pedaços de pizza como almoço e seguimos vendo e revendo tudo: esculturas, pinturas e a famosa Capela Sistina.
Quando voltamos à Piazza San Pietro, já não havia fila para entrar na Basílica.
Sábia decisão a nossa!
Vimos tudo o que tínhamos direito ali: altares, imagens, cripta, túmulos.
Tudo pode ser fotografado no Vaticano: museu, basílica, menos a Capela Sistina e a cripta da basílica, onde estão enterrados todos os papas.
Aí vai uma amostrinha, a imagem mais antiga de São Pedro:

E voltamos pro hotel usando mais uma vez os serviços do Rome Open Tour.
Depois do banho, uma voltinha até Trinitá dei Monti e Piazza D'Spagna.
E saímos procurando um lugarzinho maneiro para nosso último jantar romano.
Achamos!

Na volta pra casa, a Piazza D'Spagna seguia movimentada. Além do burburinho normal, havia ainda uma filmagem em andamento. Paramos pra ver.
Nosso último dia em Roma começou com uma caminhada até a Piazza del Popolo. Fomos ver a Igreja de Santa Maria del Popolo, onde Ana fotografou essas belas pinturas de Caravaggio.

Em Roma tudo é permitido. Nada de pagar para ver igrejas – nem mesmo a basílica de São Pedro. E quase tudo pode ser fotografado...
Na mesma manhã, visitamos a Igreja de Santa Maria Maggiore e o Pantheon, uma igreja circular enorme, com os túmulos de Victorio Emanuelle e Umberto I.
De volta pra casa, comemos uma lasanha rápida no caminho, passamos mais uma vez pela Fontana di Trevi pra um sorvete e partimos, ainda usando o Rome Open Tour, para o Termini e, de lá, para o Fiumicino.
Era véspera de feriado prolongado na Espanha. Sobrevoamos a cidade durante uns trinta minutos até conseguir uma vaguinha pra posar em Barajas.
De Roma, ficamos com a imagem de uma cidade agradável com um trânsito caótico, onde Vespas e Smarts fazem a festa. Grande parte dos carros tem a pintura e a lataria esfolada e estacionar é um grande problema por lá. Deus me proteja de um dia ter que dirigir nessa cidade!
Fotos de todas as etapas dessa longa viagem estão em nosso dois álbuns:

Europa 2008

Europa 2008

2 comentários:

  1. marisa licursi28/07/2008 15:45

    Ah! Que gostoso!

    Um dia vou também pra ver a parentaiada em Napolis e Sicilia

    Um beijo e boa viagem, Meninas

    Miau

    ResponderExcluir
  2. Maneiro o post, vi as fotos do show do Chico, q cabelo horrível, credo. Mó bicho grilo q ele está, né? Gostei do óculos dele e da roupa. O Xisto Medeiros tá na banda?
    Bjos
    Juliana

    ResponderExcluir