domingo, janeiro 08, 2017

Em Boston pela primeira vez

Foto: Ana Oliveira

Já tínhamos planejado conhecer Boston numa viagem em 2012, mas problemas de doença em família nos tiraram da rota. Acontece!

Agora, na viagem para os Estados Unidos no início de dezembro/2016, rolou. Fomos a Boston e gostamos!

Saímos do Brasil com tudo reservado: ônibus da Boltbus e Hotel Lenox. Foi tudo bem bom.

Fazia frio e teve até um pouquinho de neve. Um tiquinho de nada, é verdade, mas os telhadinhos que avistávamos da nossa janela ficaram esbranquiçados.

Olhaí:

Foto: Ana Oliveira

No dia anterior à neve, percorremos toda a Freedom Trail, parando em cada um dos pontos históricos da cidade. Atravessamos a ponte Charlestown e achamos até dispensável, mas já estávamos lá... Só ficaram de fora a visita ao barco USS Constitution, porque chegamos tarde, e a subida ao Bunker Hill Monument, porque ficamos com preguiça.

A Freedom Trail é uma trilha urbana demarcada com tijolos vermelhos que percorre a cidade passando por pontos históricos importantes. Bem interessante e prática. Ela não passa exatamente em frente à Mike's Pastry, mas nós demos uma passadinha na Hanover St. pra experimentar os canolli que foram considerados mais importantes que uma arma, no filme "O poderoso chefão". Quem não se lembra da cena, pode revê-la aqui.

Foto: Ana Oliveira

Aproveitamos o dia chuvoso pós neve pra ir uma visita à cervejaria Samuel Adams, com direito a tour pela fábrica e degustação generosa de quatro tipos de cerveja. Tudo grátis, inclusive o copinho que você usa na prova e pode levar pra casa. Adoramos!

Foto: Ana Oliveira

E ainda tivemos uma surpresa final: havia um trolley que fazia o translado grátis desde a cervejaria até o Doyle's Cafe.

O clima no trolley era de festa, com música, luzes e comentários do motorista. Turistão até não poder mais, mas divertido. Ana filmou um pedacinho dessa aventura pra gente não esquecer como foi:


No Doyle's, fomos bem atendidas, comemos bem e tomamos mais cerveja Samuel Adams. E, vejam só, quem toma cerveja lá leva de brinde o copo, igualzinho ao que era vendido na lojinha da fábrica e que, dizem, mantém a temperatura da cerveja por mais tempo. Foi assim que voltamos pra casa com quatro copos na bagagem (de mão!).

O dia, que começou com neve e teve chuva pela manhã, melhorou a ponto de nos permitir subir os 50 andares do Prudential Center para ver Boston do alto lá no Skywalk Observatory.

Fotos: Ana Oliveira

No dia seguinte, tomamos o ônibus nº1 e fomos a Havard. Andamos pelos famosos jardins da universidade e chegamos à conclusão de que ela é mais bonita nos filmes do que na vida real. Será?

Almoçamos no Henrieta's Table, restaurante bem concorrido que fica no The Charles Hotel.

A dica foi da Marcie e valeu cada passo entre a universidade e o restaurante. Se alguma vez você for ao Henrieta's, atente para o detalhe: o restaurante fica dentro do hotel. Nós deixamos escapar essa informação e ficamos um tempinho perdidas procurando o restaurante no nº 1 da Bennett St. 😳

Nosso hotel ficava a dois passos da bonita e agradável Boston Public Library, o que nos permitia dar sempre um pulinho lá. Fizemos do Newsfeed Café, que fica ali dentro, uma extensão da nossa casa. Delicinha!

Foto: Ana Oliveira

Perto de nós também estava a Trinity Church. Tínhamos lido um post  no Wazari viajando mundo afora que recomendava uma visita à igreja. Pensamos em ir, mas achamos abusivo o valor de 7 dólares para a visita guiada, única opção possível para entrar na igreja naquela hora. Declinamos!

Na nossa última manhã em Boston, as ruas estavam molhadas pela chuva da noite anterior, mas ainda assim nos aventuramos até o Boston Public Garden pra ver Mrs. Mallard e seus filhotes na escultura Make way for ducklings, de Nancy Schön.

Foto: Ana Oliveira

Make way for ducklings é uma famosa história infantil escrita no século passado por Robert McCloskey, que conta a história de um casal de patos-reais que construiu seu ninho numa ilha no meio do lago, no Boston Public Garden. Quando os filhotes nasceram Mr. e Mrs. Mallard lhes deram os nomes de Jack, Kack, Lack, Mack, Nack, Ouack, Pack e Quack, usando uma sequência das letras do alfabeto do J ao Q.

Voltamos ao hotel pela Commonwealth Avenue Mall. Uma avenida larga, com enormes e luxuosas casas. No canteiro central da avenida, chamou-nos a atenção o Boston Women's Memorial, uma homenagem a três grandes mulheres da cidade:

Abigail Adams, esposa do 2º presidente americano e defensora de mais oportunidades para as mulheres, particularmente na educação.

Foto: Ana Oliveira

Lucy Stone, abolicionista e respeitada oradora. Fundadora do Woman's Journal, importante publicação sufragista.

Foto: Ana Oliveira

Phillis Wheatley, autora de "Poems on various subjects, religious and moral", o primeiro livro de autora africana publicado na América.

Foto: Carmem Almeida

Que mulheres!!!!!!

Nem preciso dizer que Boston é cidade pra voltar, sim! De preferência com uma temperatura mais amena.

segunda-feira, dezembro 12, 2016

Diário de Viagem: Nova York

A viagem começou com emoção: primeiro o chuveiro queimado na hora do último banho paulistano de novembro; depois, um problema com passaporte & visto que nos fez voltar pra casa em busca do documento certo, numa aventura alucinante, de Uber, nos trechos GRU/Paraíso/GRU; em seguida, dez horas de voo com temperatura congelante; pra completar, duas horas na fila da imigração em JFK.

Dia 1

Fotos: Ana Oliveira
NYC Airporter, ônibus entre JFK e Manhattan + caminhada arrastando as malinhas até o Pod51, que como se pode imaginar está na 51st St.

Early check in no hotel: entramos por volta das 12h

Almocinho delícia no BXL East, na própria 51: olhamos, achamos bonitinho, entramos e gostamos

Pé na estrada, ou melhor, na avenida rumo à B&H, afinal o motivo da viagem era comprar uma câmera mirrorless!

De passagem, vimos a árvore de Natal do Rockfeller Center e as vitrines da Saks Fifth Avenue e da  Lord & Taylor

Descanso no hotel pra reunir forças pra próxima etapa

Jantar no Shun Lee Cafe, com Marcie e Julie

Por fim, o sono dos justos... e cansados

Dia 2


Café da manhã no TreeHaus. Vimos, achamos bonito, entramos e nos arrependemos. Acontece!

Passeio pelo Central Park pra ver as cores do outono

Almoço no Robert, pra matar as saudades e ver o Central Park do alto

Passadinha na TKTS da Times Square pra tentar comprar ingressos pra um musical da Broadway. Fila desanimadora

Seguindo adiante, rumo à Macy's pra umas comprinhas básicas

De volta, pit stop em frente à Saks Fifth Avenue pra ver o espetáculo de luzes da fachada

Jantar no Luna Piena, na 53 St. Vimos no Google, achamos interessante, reservamos, fomos e não nos entusiasmamos muito. Tudo porque o Brio fechou!

Dia 3
Rooftop do Pod51
Café da manhã no bar do hotel

Visitinha à loja da Apple, na 5a. avenida

Um pulo até o rooftop do hotel, check out e pé na avenida rumo à parada de ônibus para Boston, com parada pra comer uns pedaços de pizza como almoço e um cafezinho no Starbucks enquanto esperávamos a partida

Embarque no BoltBus rumo a Boston.

(Nossa estreia em Boston conto depois, num post especial.)

Dia 4

Chegada de Boston no início da noite e check in no Pod39 (bem melhor que o Pod51, pode acreditar!)

Jantar no animadíssimo La Pecora Bianca. Vimos no Google, fomos sem reserva, comemos no balcão e gostamos

Na volta, comprinhas na farmácia/mercado (sim, todas aquelas farmácias enormes de NYC agora são também supermercados...)

Dia 5

Um vídeo publicado por Ana Oliveira (@anamdo) em

Dia de feirinha de Natal: fomos à do Bryant Park e à da Columbus Circle

Dia também do aniversário da morte de John Lennon, portanto dia de ir até o Dakota e também ao Strawberry Fields, no Central Park, que estava animadíssimo

O almoço tardio foi no Le Pain Quotidien, depois de uma tentativa frustrada de comer um sanduíche no Burger Joint: a fila dava várias voltas!

Descanso no hotel pra reunir forças pra próxima etapa

Jantar chez Pellicanos

Dia 6
Família reunida no rooftop do Pod39

Visita ao agradável rooftop do Pod 39

Dia frio, com longa caminhada rumo norte, em busca de algumas últimas comprinhas, quase sem sucesso

Almoço no mesmo BXL East do primeiro dia

NYC Airporter, ônibus entre Manhattan e JFK, enfrentando bastante trânsito

Enfim, embarque com destino ao Galeão (sim, a passagem de volta com  conexão no Rio era infinitamente mais barata!)

 Foi bom!

quarta-feira, novembro 30, 2016

11 ANOS

Catei essa imagem nesse blog aqui. Troquei a cor e tô usando. Obrigada Isul!
Vamos falar sério: 2016 foi um ano difícil pra todos nós, brasileiros.
Começou ruim e tá terminando pior.
E as perspectivas... melhor nem pensar!
Como a gente sempre prefere contar coisas boas, foram poucas as postagens por aqui: apenas 24 histórias.
, o ano foi ruim, mas nós viajamos bastante. E quase tudo foi contado aqui com detalhes, em 23 posts, nos quais aparecem algumas viagens ainda do ano anterior e outras do famigerado 2016.
A única postagem diferentona foi sobre o ingresso do DUTPC na Central do Textão, um site agregador de blogs criado pela Tina.


Pra completar os feitos do blog nesse ano, fomos convidadas pelo amigo Paulo para um evento no SESC sobre mulheres viajando sozinhas e reservamos um tempinho pra contar a história do De uns tempos pra cá.


Quando esse post comemorativo for ao ar, estaremos envolvidas com os últimos preparativos para mais uma viagenzinha: 10 dias nos EUA, entre Nova York e Boston. Bora!

A imagem é do Shutterstock, mas eu achei aqui. Obrigadinha BostInno!

segunda-feira, novembro 14, 2016

Abraçar e agradecer


Na Huaca Arco Íris, em Trujillo, Peru.


Já contei aqui que passamos nossos aniversários no Peru, percorrendo o país de sul a norte.

Pra quem ainda não leu, afirmo que a viagem foi delicinha, apesar de alguns probleminhas que tivemos que enfrentar. Mas tiramos tudo de letra! Afinal, estávamos muito bem assessoradas. 

Vejam só nossos consultores de plantão, a quem queremos abraçar e agradecer, igualzinho Bethânia faz ao final de seus shows:

  • NA PREPARAÇÃO
Ricardo Freire, do Viaje na Viagem, com sua completíssima série: Primeira viagem ao Peru e os conselhos e mais conselhos da Sylvia Lemos. Tem TUDO lá, gente! 

Patricia de Camargo, do Turomaquia, que conta com fatos, fotos & filmes tudo o que tem pra ser feito no país; foi ela quem botou na nossa cabeça a ideia bacana de fazer o trecho Puno/Cusco com o Andean Explorer, dica que a gente tinha guardado desde que apareceu pela primeira vez no Turomaquia;

 Natalie Soares e Fred Marvila, do Sundaycooks, que são superdetalhistas e têm informação sobre tudo o que a gente precisa pra se preparar pra percorrer o país. Verdade, gente, até como identificar notas falsas o Fred ensina!

Carla Portilho, do Idas e Vindas - Crônicas de Viagem, que tem um posts completinhos sobre Puno, com dicas de passeios, transportes, hotel e pizzaria. Seguimos quase todas, viu, Carla?

Camila Camargo, do La Chica de Mochila, que contou tudinho sobre o passeio pelo Titicaca;

Luciana Malheiros, do Dividindo a Bagagem, PHD em viagens para o Peru, com especialização em Machu Picchu.

  • NA VIAGEM
Manu Tessinari e Bia Kuntz, do Cup of Things. As duas são brasileiras e vivem no Peru. Têm dicas sobre tudo: passeios, restaurantes, transportes. O Cup foi o nosso manual do escoteiro para sobrevivência no país, especialmente em Lima.

E mais uma vez, na hora do perrengue: "Greve no sul? Vamos para o norte!", Natalie & Fred tinham tudo sobre Trujillo e ChiclayoPatrícia contou sobre a Senhora de CaoLuciana ajudou com todo um roteiro de sua viagem ao norte do Peru.

Como se vê, temos mesmo muito pra agradecer.

Mais uma vez a la Bethânia, queremos terminar dizendo:


Obrigada, senhores!


quinta-feira, outubro 06, 2016

Peru de sul a norte

Antes festejávamos os aniversários com reuniões entre amigos. Bons tempos, bastante comida, conversa e gente se acomodando em cada canto do pequeno apartamento no Paraíso.

Depois, paramos com as festas e decidimos festejar com viagens. Foi em 2013.

Esse ano, o primeiro depois da aposentadoria da Ana, inovamos fazendo uma única viagem, mais longa, para festejar os dois aniversários: fomos para o Peru.

Catedral de Trujillo

 Começamos o planejamento em julho. Pesquisando daqui e dali, construimos um programinha agradável pelo sul do país, incluindo tudo - ou quase tudo - o que os turistas fazem por lá.

Ficou assim:

✈️ Voos com a LATAM São Paulo/Lima/Arequipa/Cusco/Lima/São Paulo


🏨 Em Arequipa: Katari Hotel

🚙 Passeio pelo Vale do Colca com a Pablo Tour, com pernoite na Casa de Santiago, em Cabanaconde

🚌 Ônibus da 4M Express entre Chivay e Puno

🏨  Em Puno: Hotel Conde de Lemos

⛵️ Passeio pelo Lago Titicaca, incluindo as ilhas flutuantes dos Uros e Ilha Taquile

🚉 Trem Andean Explorer entre Puno e Cusco

🏨 Em Cusco: Hotel Unaytambo

😡 E aí tivemos alguns problemas:

🆘 Uma greve prometida para três dias, exatamente aqueles em que estaríamos circulando pelo Vale Sagrado e Machu Picchu, nos obrigou a mudar de planos. Então cancelamos:

🚙 Passeios pelo Vale Sagrado, terminando em Ollantaytambo (nenhum agente de turismo ou motorista de táxi se comprometeu a colocar carros nas estradas naqueles dias)

🚉 Trem panorâmico de ida e volta a Machu Picchu (a própria Peru Rail ofereceu cancelamento grátis para os bilhetes já adquiridos)

🏨 Hotéis: El Albergue, em Ollantaytambo; Tierra Viva Machu Picchu, em Águas Calientes; Hotel Unaytambo, em Cusco (uma noite antes e outra depois). Para esses cancelamentos contamos com a ajuda do Booking e com a compreensão dos hotéis e fizemos tudo sem a aplicação de multas.

🎫 Tickets de entrada a Machu Picchu. Aí tivemos alguma dificuldade: o Ministério de la Cultura, que cuida da venda desses tickets, não faz cancelamento nem devolução do dinheiro. Faz somente trocas de dias e/ou nomes, mediante uma multa de 10% do valor pago. Quem nos salvou foi Dona Ana Maria, da Orellana Tour, que gentilmente nos deu nome e dados de dois passageiros japoneses para que efetuássemos a alteração nos bilhetes e nos pagou o valor integral dos mesmos. Só arcamos, mesmo, com a multa. Ô sorte!

😅 Resolvidos os perrengues, redirecionamos o programa para o norte do país, onde não havia ameaça de greve:

✈️ Na LATAM, pagamos a multa de 70 dólares por cabeça para a mudança do voo Cusco/Lima e compramos bilhetes Lima/Trujillo/Lima, pagando preço cheio. 😠

🏨 Em Trujillo: Hotel Libertador, bem na Plaza de Armas, o melhor custo x benefício da viagem

🚙 Passeios pelas antigas cidades dos Moches e Chimus, com direito a visita à Senhora de Cao

🚌+ 🚙 Viagem e passeios em Chiclayo

✈️ Depois dessa escapada nortista, voltamos a Lima para continuar o plano inicial

🏨 Em Lima: JW Marriot Hotel

🎊 Aniversários celebrados, programa quase cumprido, retornamos a São Paulo, com a perspectiva de voltar logo ao Peru pra visitar o que ficou pra trás.

El Celler de Cler, Trujillo